;

Notícias

  1. CRO RN
  2. Notícias

Candidato do PPS, Wober Júnior, quer um pacto pela saúde se eleito

O candidato do PPS, Wober Júnior, esteve na última quinta-feira no auditório do CRO-RN discutindo com os dirigentes das entidades odontológicas a suas propostas para administrar Natal caso eleito em 5 de outubro. Como prioridades, Wober disse vai criar o Planejamento Estratégico do Município de Natal como primeira medida de sua administração, assim como vai dar uma a atenção à saúde, propondo um pacto. Nesta quinta-feira, dia 18, às 11 horas, o encontro da odontologia será com o candidato Joanilson de Paula Rego (PSDC).

Segundo o candidato, a saúde precisa de um pacto para sair do caos que no momento se encontra. “Você tem que chamar os trabalhadores da saúde, todos aqueles que interagem com ela, do setor público e privado, traçar uma política para o município de Natal”, disse.

A intenção de como prefeito, explicou o candidato do PPS, não é o enfrentamento com os trabalhadores da saúde, mas sim fazer um pacto para melhorar o atendimento da população. “Eu vou abrir a caixa preta e dizer o que o município arrecada, o que se pode fazer, discutindo com eles e com sociedade toda como é que vamos melhorar a saúde”, disse Wober.

Segundo ele, há recursos do Sistema Único da Saúde (SUS) que podem ser disponibilizados para Natal e como prefeito pretende fazer um comitê gestor com a sociedade para melhor aproveitá-los, com uma gestão eficiente. “Sem uma gestão eficiente, você nunca vai ter uma política de saúde boa pra ninguém em canto nenhum do mundo”, afirmou o candidato.

“O que não pode é faltar exames, equipamentos, e o médico ganhar ruim. Mas tem que fazer o pacto. O prefeito vai ter que chamar o médico, o dentista, a fisioterapeuta, o enfermeiro, a auxiliar de enfermagem, a auxiliar de serviços gerais... Nós vamos abrir, Temos aqui os recursos e o que nós vamos fazer, como é que pudemos fazer”, explicou Wober, atual deputado Estadual.

Para o candidato do PPS, como a instituição governo do Estado do RN fez um negocio fantástico, como a Central do Cidadão, com instalações confortáveis, bom atendimento, funcionários treinados, serviço eficiente, ar-condicionado, boas poltronas, e na saúde não é assim. “Eu nunca vi ninguém reclamar da Central do Cidadão. E porque na saúde não pode ser assim e tem que ser ruim se ela está tratando de vida humana?”, indagou.

Para o candidato, com o pacto, se pode melhorar muito o padrão de atendimento da saúde em Natal, principalmente se o futuro prefeito tiver compromissos com a sociedade. Ele também pretende promover a saúde e a educação do trânsito destinando no mínimo 70% da verba publicitária da prefeitura para defender e difundir as políticas populares, entre elas a de saúde e higiene bucal, fazendo campanhas educativas de prevenção e combate de câncer de mama, pele, útero, de ovário, próstata, reto, entre outras.

No encontro de quase 2 horas com as entidades odontológicas, representadas pelos presidentes do CRO-RN, Eimar Lopes de Oliveira, do SOERN, Ivan Tavares de Farias Júnior, e da ABO-RN, Pedro Alzair, o candidato apresentou suas propostas para administrar a cidade falando principalmente de saneamento básico. “Eu vou criar o Plano Municipal de Saneamento, reordenar essa política para que o dinheiro que a gente angaria do governo Federal e uma parte do governo Estadual e municipal, e em consórcio com a iniciativa privada, possamos tocar uma política saudável de saneamento para a cidade de Natal, inclusive pensando no reabastecimento dos aqüíferos”, disse.

Na sua proposta de criar o Planejamento Estratégico de Natal, Wober explicou que a cidade precisa saber se na infra-estrutura a “sua malha viária comporta o desenvolvimento que está previsto; se o seu fornecimento de energia não vai ser comprometido; se o nosso lençol freático, o nosso meio ambiente, nossa paisagem, nosso patrimônio histórico não será atingido?”

Segundo o candidato do PPS, Natal tem que se preparar para isso e ele não vai ser um prefeito preconceituoso. “Vou tratar o empresário como parceiro e não como adversário do Estado dentro da cidade”, disse. “Vamos tratar como parceiro porque nós vamos garantir a ele segurança jurídica da aplicação dos seus investimentos.”

O deputado e candidato disse que este planejamento estratégico vai atingir tanto do ponto de vista da infra estrutura quanto do ponto de vista das políticas sociais, como educação, saúde, planejamento urbano, conservação do meio ambiente, preservação, estimulo a cultura. “A gente pretende fazer uma grande modificação nesses paradigmas conservadores e antigos que precisam ser rompidos para que Natal rompa esses gargalos e não aproveite só o “boom” internacional e o crescimento da economia nacional para continuar crescendo”, afirmou.

Wober ainda fez criticas aos outros candidatos, que falam em cidade auto- sustentável, mas que não citam nenhuma vez o sistema tributário nacional. “E eu fico aqui pensando comigo: como a gente vai fazer uma economia auto-sustentável se você tem 67% dos recursos angariados pelo governo Federal; se o município não tem sozinho recursos nem capacidade de promover nenhuma obra estruturante para sua gestão”. Para o candidato, este tipo de discurso é só eleitoral.

Segundo Wober, na Filândia é diferente e lá os candidatos assinam um compromisso com suas principais propostas, dizendo de onde o dinheiro será alocado e como vão executar. “Se eles não fizerem isso no poder, não tem aquele desculpa que não foi possível porque o presidente disse que não, que a governador não podia, que houve uma crise imobiliária lá em Caicó, tá bom e acabou”, ironizou.

O candidato do PPS, Wober Júnior, agradeceu as entidades odontológicas por ter chamado não só a ele, mas a todos os candidatos para que a categoria participe desse processo eletivo, “uma conquista democrática do povo brasileiro”.

Os presidentes das entidades odontológicas acreditam que estes encontros são o primeiro passo de uma nova forma da odontologia participar do processo eletivo do prefeito da cidade. “Sem participação não há mudanças, avanços, por isso eu convoco sempre a categoria para participar e mostrar que sua força está exatamente em deixar de ser omissa”, afirmou o presidente do CRO-RN.

“É um processo lento, mas eu acredito que a odontologia pode avançar e já estamos avançando, basta ver estes encontros onde o sindicato está apresentando as principais reivindicações da nossa categoria.”

.

 

Outras Notícias