;

Notícias

  1. CRO RN
  2. Notícias

Fiscalização do CRO-RN interdita eticamente consultórios em Arês e Nísia Floresta

Fiscalização do CRO-RN interdita eticamente consultórios em Arês e Nísia Floresta
UBS Alto do Monte Hermínio em Nísia Floresta: interdição no consultório e sala de esterilização

A Fiscalização do CRO-RN visitou nos dias 25 e 26 de julhos os municípios de Nísia Floresta, Baía Formosa e Arês, onde foram fiscalizadas 15 unidades básicas de saúde, com a interdição ética em dois consultórios dentários por problemas de insalubridade.

Os consultórios interditados foram em Arês, na UBS Joaquim Firmino Bezerra, e em Nísia Floresta, na UBS Alto do Monte Hermínio.

As fiscais Cyntyan Teixeira Marques e Cristiane Assunção Mafra na visita ao consultório dentário da UBS Joaquim Firmino Bezerra encontraram mofo e infiltrações de forma generalizada nas paredes, além de ausência de suporte para caixa de perfuro cortante, ferrugem na base da cadeira e instrumentais e insumos insuficientes, que eram trazidos de outra unidade.

Além da interdição ética do consultório devido ao alto grau de insalubridade, as fiscais sugeriram para a gestão a aquisição de instrumentais e insumos suficientes para atender a demanda da população.

Na visita à UBS Alto do Monte Hermínio em Nísia Floresta, a fiscalização encontrou o consultório dentário com mofo e infiltrações na parede e teto. A mesma situação também na sala utilizada para lavagem e esterilização de instrumental.

As fiscais do CRO-RN também observaram outros problemas como encosto da cabeça da cadeira odontológica rasgado e encosto do mocho, além de lâmpada do refletor queimada, sugador danificado, colete de chumbo sem protetor de tireoide, bem como falta de bancada de apoio e suporte para equipamentos.

Segundo as fiscais, o armário do consultório, além de danificado, é pequeno para a necessidade do serviço, assim como a cadeira odontológica está com a base enferrujada e cuspideira.

A interdição ética foi no consultório e na sala de lavagem e esterilização de instrumental.

Nas visitas que os fiscais fazem aos municípios, o CRO-RN solicita a relação nominal dos profissionais que compõem as equipes de saúde bucal a fim de verificar a situação deles junto ao sistema, se estão inscritos no Conselho ou exercendo a função de forma irregular.

As apurações são feitas e, de acordo com a situação de cada profissional, o CRO-RN pode sugerir a sua regulamentação junto a autarquia ou mesmo abrir processo ético ou encaminhar o caso para abertura de inquérito policial na Policia Civil ou Federal.

FISCALIZAÇÃO DIAS 25 E 26 DE JULHO:

NÍSIA FLORESTA – 7 Unidades fiscalizadas

1)  UBS Pium – A fiscalização constatou ausência de pia para lavar as mãos, armário sem porta, infiltrações no teto, ausência de suporte para caixa perfuro- cortante, não existe sala para expurgo e esterilização, bombonas expostas a sol e chuva. Foi sugerido fazer a cobertura para as bombonas e proteger de acesso de animais. As fiscais concederam um prazo de 30 dias para a solução dos problemas.

2) UBS Pirangi do Sul – Foram constatadas infiltrações nas paredes e teto, furo no gesso, ausência de pia para as mãos, falta de bancadas de apoio, armários danificados, apenas uma lixeira com pedal, alguns insumos vencido, ausência de bancada para ultrassom, caixa de interruptores de energia sem tampa, brocas imersas em solução e pacotes com instrumental sem data, além de colete de chumbo danificado. Foi concedido o prazo de 30 dias para sanar as irregularidades.

3) UBS Tabatinga – A sala de expurgo e esterilização com infiltração nas paredes, bombona de descarte para lixo exposta ao sol e chuva, estofado da cadeira odontológica rasgado e mofo quebrado, ausência de suporte para caixa de perfuro cortantes. A fiscalização sugeriu individualizar brocas para esterilização e concedeu  o prazo de 30 dias para resolução dos problemas.

4)  Unidade de Apoio a UBS Tororomba – Morrinhos – Infiltração nas paredes, ausência de suporte para caixa de perfuro cortante, com sugestão para a colocação de película no vidro da janela e providenciar depósito para transporte de instrumentais estéreis e não estéreis. Concedido o prazo de 30 dias para solução dos problemas.

5) UBS do Porto – Infiltrações nas paredes, ausência de suporte para caixa de perfuro cortantes, falta de bancada de apoio, ausência de datas nas embalagens de esterilização, ausência de colete de chumbo para R-X. No momento da visita sem dentista na UBS. Foi concedido o prazo de 30 dias para sanar os problemas .

6) UBS Alto do Monte Hermínio –  Consultório dentário tomado pelo mofo e infiltrações na parede e teto e também na sala utilizada para lavagem e esterilização de instrumental. As fiscais também observaram encosto da cabeça da cadeira odontológica rasgado e o encosto do mocho, além de lâmpada do refletor queimada, sugador danificado, colete de chumbo sem protetor de tireoide, bem como a falta de bancada de apoio e suporte para equipamentos, armário danificado e pequeno para a necessidade do serviço. A cadeira odontológica com a base enferrujada e a cuspideira também. Neste caso houve a interdição ética do consultório e da sala de esterilização, com os profissionais da equipe bucal não podendo atender até que a gestão garanta as condições de salubridade para o atendimento da população e do exercício profissional.

7) UBS Cidade Alta – Infiltrações nas paredes, ausência de suporte para caixa de perfuro cortante, ausência de colete de chumbo. Foi concedido o prazo de 30 dias para resolução dos problemas.

BAIA FORMOSA  – 3 UBS visitadas

1) UBS de Sagi – Ausência de suporte para caixa de perfuro cortantes, ausência de saco para lixo, ausência de datas nas embalagens de esterilização, ausência de pia para mãos, infiltrações nas paredes, sugere-se resolução imediata das infiltrações.

2) UBS PFS I – Centro –  Ausência de suporte para caixa de perfuro cortante, auência de saco para lixo, ausência de saco de lixo hospitalar, ausência do protetor de tireoide para rx. Concedido o prazo de 30 dias para resolução dos problemas neste termo

3) UBS PSF-Taboleirinho: infiltrações nas paredes, ausência do protetor de tireoide para rx, ausência de suporte para caixa de perfuro cortante. Concedido o prazo de 30 dias para resolução dos problemas neste termo.

ARÊS –  5 UBS visitadas

1) UBS ESF IV – Foram observadas infiltração na parede; base da cadeira odontológica enferrujada e encosto da cabeça rasgado; não encontramos colete de Raio X na sala, sendo recomendada suspensão caso estejam fazendo sem a devida proteção. Concedido prazo de 30 dias para resolução dos problemas encontrados.

2) UBS ESF I – As fiscais constaram infiltração na parede e teto; embalagens com esterilização antiga, até dois anos passados e bandejas não esterilizadas, um insumo vencido e o Dentista com inscrição desativada, sendo orientado a resolver de imediato sua regularização junto ao CRO-RN. Concedido prazo de 30 dias para resolução dos problemas encontrados.

3) UBS Areias - ESF V – Encontrava-se fechada para reforma.

4) UBS Urucará - ESF III – O consultório apresentava infiltração na parede, apenas uma lixeira (recomenda-se  duas), ausência de suporte para caixa de perfuro cortante, instrumental guardado em caixa de papelão para transporte  para outra unidade e seringa tríplice sem funcionar. Foi sugerido aquisição de depósitos plásticos com tampa e armários adequados para guardar e organizar o material de forma adequada.  até que se providencie quantidade adequada para atender as duas unidades. Concedido prazo de 30 dias para resolução dos problemas encontrados.

5) UBS Joaquim Firmino - Sítio Nascença – Foram encontrados mofo e infiltrações de forma generalizada nas paredes, além de ausência de suporte para caixa de perfuro cortante, ferrugem na base da cadeira e instrumentais e insumos insuficientes, que eram trazidos de outra unidade. Foi feita a interdição ética do consultório devido ao alto grau de insalubridade e a equipe de Fiscalização sugeriu à gestão a aquisição de instrumentais e insumos suficientes para atender a demanda da população.

Confira a galeria de fotos clicando aqui

Outras Notícias